Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

*Mariana Uyeda Ogawa

O MASP (Museu de Arte Moderna de São Paulo), situado na Avenida Paulista, completou 50 anos no dia 7 de novembro.

Antes da atual sede na Avenida Paulista o Museu de Arte Moderna de São Paulo existia na Rua Sete de Abril, região central de São Paulo, desde 1947.

Museu privado sem fins lucrativos foi fundado pelo empresário, jornalista e mecenas Francisco de Assis Chateaubriand Bandeira de Melo, mais conhecido como Assis Chateaubriand ou Chatô (Umbuzeiro/Paraiba,1862 -São Paulo,1968), com a sua coleção particular de pinturas de mestres europeus.

Pietro Maria Bardi, colecionador, jornalista e crítico de arte italiano (La Spezia/italia, 1900 - São Paulo,1999) foi convidado por Assis Chateaubriand para ajuda-lo a montar e dirigir um Museu de Arte, em 1947. Comprometeu-se a ficar um ano nesse projeto. Acabou permanecendo na direção do MASP até 1996.

No final da década de 1950, em decorrência do crescente acervo artístico e a demanda por um espaço maior, Pietro Maria Bardi empreendeu esforços para uma nova sede do Museu de Arte.

Havia na Avenida Paulista um terreno que era ocupado pelo Belvedere Trianon, sobre o vale da avenida Nove de Julho. Em 1951, o Belvedere Trianon foi demolido para dar espaço a um pavilhão onde fora realizada a Primeira Bienal Internacional de São Paulo. O terreno havia sido doado à Prefeitura por Joaquim Eugenio de Lima, idealizador da Avenida Paulista, sob a condição que a vista para o centro da cidade fosse preservada.

A cargo do projeto arquitetônico Assis Chateaubriand convidou a arquiteta ítalo-brasileira Achilina Di Enrico Bo - mais conhecida como Lina Bo Bardi.

Lina Bo Bardi nasceu em Roma, em 1914. Estudou na Faculdade de Arquitetura em Roma e se casou com o jornalista e crítico de arte Pietro Maria Bardi, em 1946, ano em que ambos vieram para o Brasil. Em 1951, Lina Bo Bardi naturalizou-se brasileira e faleceu em 2002, em São Paulo.

Além do prédio do MASP, Lina Bo Bardi notabilizou-se ao projetar a Casa de Vidro, no bairro do Morumbi – originalmente residência do casal e atualmente sede do Instituto Lina Bo Bardi e Pietro Maria Bardi, o Teatro Oficina, no bairro do Bixiga – considerado em 2015 pelo jornal inglês The Guardian como o melhor teatro do mundo na categoria projeto arquitetônico, e, o edifício do Sesc Pompéia, na Vila Pompéia.

masp 1

http://www.plurallnews.com/wp-content/uploads/2018/05/Museu-de-Arte-de-S%C3%A3o-Paulo-reprodu%C3%A 7%C3%A3o-PlurAll-News-780x405.jpg


O prédio do MASP é composto por um corpo principal - um bloco suspenso a 8 metros do piso, e um bloco subterrâneo. Destaca-se o seu vão livre de mais de 70 metros que se estende sob quatro grandes pilares interligados por duas gigantescas vigas de concreto e foi idealizado para ser uma praça de encontro para a população. A cor vermelha das vigas de concreto, que originalmente era cinza, foi pintada na década de 90, tornando-se um dos seus traços característicos.

O edifício do MASP começou a ser construído em 1958 e levou dez anos para ser concluído. No dia 7 de novembro de 1968 presidiu a cerimônia de inauguração a rainha Elizabeth II, da Inglaterra, que fazia uma visita ao país.

Além das suas formas arquitetônicas, o MASP destaca-se pela concepção da exposição do seu acervo permanente idealizada por Lina Bo Bardi. A arquiteta utilizou lâminas de cristal temperado amparadas por blocos de concreto como suporte para as pinturas – cavaletes com vidro que deixam as obras em suspense - tornando mais acessível e próximo o contato do público com as obras de arte.

O prédio do MASP, na Avenida Paulista, é considerado cartão postal da cidade de São Paulo.

O prédio segue o estilo brutalista – movimento arquitetônico desenvolvido nas décadas de 50 a 70, com destaque pela utilização do concreto aparente (béton brut). Outros exemplos da Arquitetura Brutalista na cidade de São Paulo são o edifício-sede do Tribunal de Contas do Município de São Paulo, projeto do escritório de arquitetura Croce, Aflalo & Gasperini e a Faculdade de Arquitetura da Universidade de São Paulo, de João Vilanova Artigas e Carlos Cascaldi.

Desde 1946 o prédio foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).

Em 2008, o Musèe D´Orsay de Paris, convidou o MASP para integrar o “Clube dos 19” – seleto grupo de 19 museus que possuem um significativo acervo de arte europeia do século XIX, assim como o Metropolitan de Nova Iorque e o The Art Institute de Chicago,

O MASP foi o primeiro museu moderno brasileiro e é considerado o mais importante acervo de arte europeia do Hemisfério Sul. São mais de 10 mil obras, desde pinturas, esculturas, fotografias, vídeos, vestuários e objetos de diversos períodos, em que se destacam as escolas italiana, francesa, espanhola, portuguesa, holandesa, inglesa e alemã. Do seu acervo permanente destacamos as obras de Van Gogh, Rafael, Cézanne, Renoit, Monet, Picasso, Degas, Modigliani, Velázquez, Anita Malfatti, Di Cavalcanti, Candido Portinari, Victor Meirelles, Almeida Junior, Benedito Calixto, Alberto da Veiga Guignard, Lasar Segall, Manabu Mabe, Lygia Clark, dentre outros.

Em sua página oficial na internet o MASP destaca a sua missão, estabelecida em 2017: “O MASP, museu diverso, inclusivo e plural, tem a missão de estabelecer, de maneira crítica e criativa, diálogos entre passado e presente, culturas e territórios, a partir das artes visuais. Para tanto, deve ampliar, preservar, pesquisar e difundir seu acervo, bem como promover o encontro entre públicos e arte por meio de experiências transformadoras e acolhedoras”.

 

Referências
MASP. Disponível em <https://masp.org.br/> Acesso em: 5 nov 2018.
Rainha Elizabeth II inaugurou o prédio do Masp. Disponível em: <https://acervo.estadao.com.br/noticias/acervo,rainha-elizabeth-ii-inaugurou-o-predio-do-masp,70002592559,0.htm> Acesso em: 12 nov 2018.
Seminário abre comemoração dos 50 anos do Masp. Disponível em: <https://www.destakjornal.com.br/cidades/sao-paulo/detalhe/seminario-abre-comemoracao-dos-50-anos-do-masp . Acesso em: 5 nov 2018.
Quem foi Assis Chateaubriand. Disponível em: <https://super.abril.com.br/mundo-estranho/quem-foi-assis-chateaubriand/> Acesso em: 13 nov 2018.
Instituto Bardi. Casa de Vidro. Disponível em: <http://institutobardi.com.br/?page_id=87>. Acesso em : 13 nov 2018.


*Mariana Uyeda Ogawa - Graduada em Direito (USP). Mestre em Direito das Relações Sociais (PUC/SP). Especialização em Direito Contratual (PUC/SP) e Aperfeiçoamento em Gestão Pública (University of La Verne, CA). Professora da Escola de Contas do TCMSP.


Adicionar comentário

Código de segurança

Atualizar

Facebook


Twitter

 

Youtube